Cirurgia plástica periodontal

A cirurgia plástica periodontal abrange técnicas que tem como objetivo corrigir defeitos nos tecidos moles (gengiva e mucosa) e no tecido duro (osso). Esses defeitos podem ocorrer naturalmente (aqueles que nascem conosco) ou podem ser sequelas de periodontite (doença inflamatória que causa perda de osso e gengiva), lesões de cáries profundas, extrações dentárias e traumas (acidentes). Um dos defeitos mais comuns são as retrações gengivais (recuo da gengiva com exposição da raiz), que podem ocorrer devido a escovação inadequada ou como sequela da perda de inserção dentária decorrente da periodontite. Existem ainda desníveis na margem da gengiva, que deixam o sorriso assimétrico (desnivelado). Outra situação que ocorre com grande frequência é o sorriso gengival, em que grande faixa de gengiva é exposta ao sorrir. Muitas vezes, diante de uma lesão de cárie profunda ou de uma fratura dentária, o nível do dente fica subgengival (dentro da gengiva) e essa situação exige que seja feita uma cirurgia para correção desse nível. Comumente, as extrações dentárias e os traumas levam a perda tanto de gengiva como de osso e no momento da reabilitação com implantes podem ser necessárias as cirurgias plásticas periodontais para aumentar o volume desses tecidos.

As técnicas de recobrimento radicular tem como objetivo corrigir os defeitos de retrações. Nesse caso, a indicação da cirurgia está relacionada com a queixa estética. O periodontista deve avaliar o caso para escolher a técnica mais adequada e verificar se é possível ou não realizar o procedimento. As cirurgias de recobrimento radicular podem ser ou não associadas a enxertos de gengiva, que podem ser retirados da própria boca do paciente ou podem ser comprados. Esses materiais comprados são de origem animal e são devidamente tratados e verificados pela ANVISA. Portanto, seu uso não oferece nenhum risco ao paciente.

Os enxertos de gengiva também são realizados em regiões ao redor de implantes para melhorar o resultado estético e para diminuir a sensibilidade da gengiva próxima ao implante. Quando o indivíduo sofre um trauma, pode ser necessária tanto a realização de enxerto ósseo, como de gengiva para melhorar o resultado estético após a reabilitação. Isso porque muitas vezes o trauma causa grandes perdas teciduais (dente, osso, gengiva).Outra situação que gera essa perda tecidual é a periodontite e a peri-implantite (doença ao redor de implantes). Dessa forma, quando a reabilitação é realizada após o tratamento dessas doenças, as técnicas de enxertia podem ser muito importantes na obtenção de resultados mais satisfatórios do ponto de vista funcional e estético.

Quando existem lesões de cáries grandes e profundas, acontece também uma grande destruição do elemento dentário. Nesse caso, a borda do dente fica numa posição subgengival e isso exige que seja realizada uma cirurgia corretiva com o objetivo de deixar o bordo do dente na região externa à gengiva (aumento de coroa protético). Isso possibilita que o dentista faça a restauração do dente de forma adequada e evita que haja inflamação da gengiva e perda óssea ao longo do tempo. A mesma situação ocorre quando o dente sofre alguma fratura extensa.

Algumas pessoas apresentam uma desarmonia na linha da gengiva, deixando o sorriso assimétrico. Nesses casos, podemos realizar cirurgias para corrigir e harmonizar a linha da gengiva (gengivectomia, gengivoplastia, aumento de coroa estético). Essa técnica também é realizada nos casos de sorriso gengival. O especialista deve analisar detalhadamente o sorriso, a gengiva, dentes e face do paciente para verificar se é possível realizar a técnica.

Podem ainda existir pigmentações escuras na gengiva, chamadas de pigmentações melânicas. Elas podem ser observadas em indivíduos afrodescendentes, orientais e em pacientes tabagistas. Alguns pacientes se incomodam com essas pequenas manchas e solicitam a sua remoção. Então, o periodontista pode realizar a remoção da pigmentação. Essa abordagem pode ser denominada de peeling gengival.

Em algumas situações, pode ser necessária a remoção de freios e bridas, que são pregas do músculo do lábio (superior ou inferior) e da língua. Essas pregas podem atrapalhar a escovação, gerando dor e impedindo que a escova alcance certos locais, podem causar diastemas (espaços entre os dentes), dificuldade fonética (da fala) e de mastigação, e podem facilitar a ocorrência de retrações da gengiva. Então, indica-se a remoção dessa prega de forma cirúrgica, melhorando tanto a função como a estética.

As técnicas de cirurgia plástica periodontal devem ser consideradas quando o planejamento do tratamento do paciente é realizado. Esses procedimentos possibilitam a melhora nos resultados funcionais e estéticos, trazendo a satisfação e bem-estar do paciente.

Texto elaborado pela Equipe Portal do Sorriso

2017-11-10T23:29:08+00:00

Escreva um Comentário